Cantão Popular em faiança de Miragaia (?)

No derradeiro finado feriado 5 de outubro no calendário político fui até à praia para despedidas do biquíni, dos longos passeios na areia fina com as ondinhas a desfazerem-se nos pés no nato prazer de sentir a brisa com o sol a estatelar-se no corpo  e de sonhar acordada a contemplar o mar ...
Como a  manhã estava fresca, deu-me o mote para espreitar a feira da Costa de Caparica onde comprei este bule  ao meu colega João e esposa Zélia que começou por me dizer  
  • " sabes que peça é esta? é Miragaia, tenho estado a pedir 60€ deixei de o vender por 40  para ti faço 35" e,...descendo mais acabei por o trazer por um preço espectacular....os vendedores chama a este motivo Miragaia...até uma vendedora tem a alcunha!
É por demais  sabido que adoro este motivo Cantão Popular vastamente pintado ao gosto  e criatividade do pintor  por muitas fábricas  pelo norte e centro do País, o que confere ao tema um estatuto de maior beleza pela singularidade às peças. Soube agora pelo meu amigo Jorge Saraiva que a fábrica Argilart também produziu Cantão Popular : jarro/bacia, terrinas, penicos e travessas, após o fecho de S.Roque em Aradas, Aveiro o pintor veio para esta com os mesmos desenhos -, que explica a transmissão noutras fábricas  com a deslocalização dos pintores!
  • A este motivo dediquei a sala da lareira de uma das minhas casas onde reúno vários pratos em tamanhos diferentes; travessas; malgas ;chávenas; tampas de terrina; covilhetes ;azeitoneira...falta-me uma terrina!
Peças marcadas só tenho de sete fábricas:
  • S. Roque -, Aveiro que se destaca pelo desenho mais estilizado do prato raso e da travessa
 
  • Lado direito prato da Pinheira  Aveiro que se destaca pelo desenho com longos filamentos e grossura da massa
  • Em baixo Cavaco - Gaia que se destaca pela tonalidade forte do azul
  •  Lusitânia  - a aba apresenta uma singularidade no desenho diferente de todas as outras versões
  •  Cesol - Coimbra forma diferente sobretudo na decoração da aba.

  • Darque-Viana na pasta tem impresso um "V" grosseiro, bordo recortado a tesoura e salgueiro sem ponta , carateristicas












  •  Sacavém - representou assim o Cantão Popular
  • Também a Fábrica Constância em Lisboa desenhou o motivo -, a mais parecida no meu achar com o verdadeiro.Cortesia dum prato do Mercador Veneziano à venda na OLX .

Em casa ao limpá-lo fiquei com a sensação que a tampa não pertence ao bule -, no caso casa muito bem . Ontem na feira de Montemor o Novo tive a propósito essa conversa com ele e a esposa - disse-me
" houve alguém que alvitrou o mesmo -, mas depois outros disseram que era pertença".
Sabendo que as peças iam para o forno cozer em separado, só depois punham a tampa que calhasse  que estava mais à mão - tal como o feirante na banca ( porque no tempo de antanho andavam embrulhadas as peças no meio de palha de centeio e não em jornais como agora - uma das hipóteses.
Fica claro para mim que a tampa não é deste bule  - por apresentar um esmalte mais belo, sendo que o torniquete redondo com a espiral o azul apresenta-se tipo cobalto que em todo o bule na decoração não sinto a mesma tonalidade de brilho e graciocidade.
  
Agora vem a parte que me acalenta em 2º grau -, a catalogação.
  • Sendo uma feroz otimista, balanço a minha modesta opinião para fabrico do norte , sem dúvidas e quase uma certeza -, Miragaia pela pintura diferente do salgueiro em altura, e da pasta.
  • Revi dois exemplares - no blog da Maria Paula  e outro da Maria Andrade é fácil verificar as semelhanças dos três.
Depois lembrei-me do Bule de Caldo -, Bica ou Caneca de Doentes  que comprei há pouco tempo onde encontro muitas semelhanças :  
  • Espinhado em azul sob a asa lisa.
  • A mesma decoração corrida em jeito de chama em redor do bico, descendo em crescimento.
  • Fundo ao meio sente-se um pequeno alto - predominância - que testa o mesmo fabrico.
  • O mesmo feitio de frete.
Travessa da minha amiga Marília -, o mesmo esponjado na bordadura da aba apesar do rodapé em forma de barco habitual da fábrica Cavaco, mas Coimbra também  o pintou assim o casario com os cedros esguios e altos.
  • O que evidencia que a travessa pode ser COIMBRA e o bule é MIRAGAIA.


Comentários

  1. Muito,bonito
    Mas com certeza que a tampa passa bem por ser daí
    Antes com essa que sem nenhuma
    Maritza

    ResponderExcluir
  2. Seja bem vinda cara Maritza, muito obrigada pelo seu comentário. De facto a tampa casa muito bem e é como diz melhor com ela do que sem.

    Cumps
    Isa

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas