Faiança de Viana ou Fervença(?)

Comprei este prato num site de leilões.Foi caro. Está muito partido, mas bem colado.

A fábrica de Fervença começou a laborar em 1824.Não marcavam as peças. No entanto no livro de José de Queiroz fala que algumas peças exibem no tardoz um risco a manganês.
Este prato apresenta o risco nessa cor e as cores refletem-se no tardoz.
O vidrado é muito brilhante, parece porcelana. 
  • Além do azul cobalto uma característica também o manganês  esborratado. 
  • Tardoz branco translúcido com reminiscências do azul cobalto em todo ele a  transparecem no esmalte.
  •  O mesmo já não se pode dizer da decoração - o jeito das ramagens das flores e dos malmequeres - vastamente copiada por outras fábricas: Miragaia, Bandeira ; Santo António da Piedade; Viana (Darque); Coimbra e,... 
Tinteiro da coleção do Museu Nacional de Soares dos Reis atribuído ao Séc XVIII - XIX da Fábrica de Miragaia
  • A Curiosidade : semelhança do manganês esborratado 
 
 A pergunta impõe-se: será o meu prato de Viana (?) ou Fervença?
Um antiquário disse-me à tempos que a loiça de Fervença se retratava no verso, é o caso desta. Mas já vi outra que não, depende da época e técnica de fabrico.

Comentários

  1. Cara Isabel

    O seu prato é bonito, uma inveja, mas eu não arriscaria assim tão ligeiramente uma classificação na Louça de Fervença, que se confunde com a da Bandeira e por vezes com Viana e sei lá com quem mais.

    Eu tentaria fazer umas pesquisas na net, no matriz e matrizpix e nos catálogos de cerâmica e tentaria encontrar semelhanças entre o meu exemplar e um ou outro pertencente a um Museu, que estivesse identificado com segurança. Se não fizermos isto andamos às apalpadelas no escuro e temos muitas hipóteses de acertar ao lado.

    Em todo o caso, gosto do seu prato, mesmo sem sabendo quem o fez

    ResponderExcluir
  2. Luís, obrigado pelo seu comentário.

    Aceito a sua sugestão.Sei que a loiça de Fervença se confunde com a da fábrica Bandeira, quanto à de Viana, não sou lá muito apologista.

    No entanto como eu referi a cor escura o acastanhado,não existe outro igual em nenhuma faiança. Ao vivo é mais perceptível de apreciar.

    Vou contudo, aceitando a sua sugestão ver os sites que referenciou.

    O mais importante nestas abordagens é mesmo a catalogação das nossas peças.

    Este despique é hilariante, tanto que o título é por si só já a interrogativa.

    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  3. Olá Isabel
    Muito bonito este seu prato!
    Consegue-se perceber, o vidrado diferente de que a Isabel fala.
    Tenho visto pratos com pormenores na decoração e cores muito idênticas à deste, como sendo de Fervença! Vá-se lá saber...
    Beijinhos
    Maria Paula

    ResponderExcluir
  4. Olá Maria Paula
    Obrigada pelo seu comentário.

    Pois, comungo o mesmo que diz, acho uma destrinça significante entre a fábrica Bandeira e a de Fervença, embora idênticas, o vidrado é único, então na tonalidade escura, cor de vinho, castanho, tantas cor para definir o tom não há outra assim igual.

    Vamos estar atentas, sempre a descobrir, este o fascínio

    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  5. Olá M. Isabel,
    Adorei este seu prato! Seja ele de onde for, é faiança portuguesa, com certeza, e de uma beleza rara, para o meu gosto. Se tivesse q lhe atribuir origem, também me inclinaria para essas fábricas do Norte, mas eu, sem marcas, sinto-me perdida... Mesmo a faiança antiga q aparece marcada é quase tudo Rs - R de João da Rocha, Miragaia; R de Fábrica do Rossio do Vandelli; R de Rocha Soares; R de Ramalho da Fábrica de Fervença; R da Fábrica da Bandeira; R de Ruas, Caminha; R de Rato - como é q se pode ter alguma certeza? Só altos especialistas q percebam dos diferentes tipos de fabrico ou de diferentes pastas, particularidades de cores ou decorações e com muito manuseamento de peças.
    Não tenho tendência para comprar em leilões online, prefiro andar pelas feiras, mas não sei se teria resistido a este prato se o preço fosse razoável...
    Beijos
    Maria A.

    ResponderExcluir
  6. Obrigada Maria Paula. Corroboro a sua informação.

    O que interessa é que também gosto bastante dele.Limitei-me a ir pelas características que em todos são comuns, mas como tudo, infalíveis!
    Nos leilões net encontram-se de vez em quando boas peças a preços muito convidativos. Este tinha o preço normal e outro preço um nadita superior para se adquiri no momento, foi o que fiz para não o perder. Nas outras situações já perdi dois ratinhos, lindíssimos, super baratos, por não estar dentro do esquema que funciona até ao último segundo quando existe outro comprador além de nós está de olho e o leilão se faz ao segundo.Vantagem quando terminam de noite, porque se o outro estiver em on-line, é ao despique. Já tive uma situação caricata destas com um prato Cavaco com um galo e desisti, porque atingiu um valor inflacionado. Demorei a perceber o esquema.
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas