Faiança de casario fabrico de Coimbra ou Vilar de Mouros (?)

Ontem comprei num colega o Pedro, esta  bela travessa partida com "gatos", que afinal era de outro amigo dele, o André.
  • De todas as da minha coleção, a mais bela, delicada  ao toque de esmalte radiante de brilho magnífico ligeiramente melado, de aba recortada, ligeiramente torta.
Não resisti ao encantamento da tonalidade monocromática azul a puxar amora, que no desenho se mostra deliciosa pela tonalidade em aguada à vez com pinceladas mais fortes no telhado, nos ombreais das pedras, nos caixilhos quadrados,  nas ramagens,  e na grinalda encadeada da decoração da aba que realça no todo o  motivo  de casario.
Fabrico meados do século XIX (?).
Fabrico norte de uma fábrica de Gaia, ou Coimbra(?), sendo a primeira hipótese de maior probabilidade (?).

O motivo central apresenta-se com casario como se fosse uma igreja(?) pela fachada principal  com portal  e dos lados supostas outras portas, encimada por vitral em jeito de janela, atrás identifica-se a torre que fecha em jeito de cúpula e pináculo, o telhado de telhas no típico beirado português ladeado por arvoredos frondosos e duas esguias, araucárias , sob rodapé esponjado, salpicado por arbustos, sendo o quadro completo a conjuntos de tracejados enviesados tão usados na decoração do motivo do cantão popular atribuído a Coimbra?.
Aba com tarja em estampa  limitada por dois filetes finos, sendo que se nota a ligação no lado direito depois do meio ao cimo.Pincelada forte no contornar da  dupla cadeia  de encadeamento alternada por flores, sobre tracejados na horizontal, sendo no limite inferior delineada por traços na vertical.
Apreciada de longe na parede, destronou outra... pelo esmalte em tom acinzentado que lhe confere uma patine incrível.
A pintura  manual do motivo central
Tardoz apresenta-se gateado de esmalte translúcido bem estruturado, e homogéneo, sem ser demasiado branco de rebordo recortado nos cantos
Travessa da coleção da minha amiga Cristina
Notam-se diferenças no rodapé que é em forma de barco ao estilo do norte(Cavaco e Bandeira) e o conjunto de três bolinhas entre o tracejado enviesado em jeito de nuvens
A Marília outra amiga, tinha uma à venda esta em tonalidade azul clara
Travessa da minha coleção com motivo decorativo semelhante, notam-se pequenas diferenças no remate do telhado, janelas, pobreza no arvoredo e rodapé com ziguezagues no esponjado, sendo as ramagens em jeito de nuvem muito semelhantes, mas de esmalte totalmente branco, banho a calcário?O que evidencia ser produção mais recente século XX, do que as anteriores, e ainda nela a dúvida se norte  uma qualquer fábrica de Gaia
Fábrica Pereira Valente, o mais provável (?).
Prato coberto que vi numa feira em que se nota substancial diferença no arvoredo  de ramagens descaído.
Seguramente fabrico de Coimbra, apesar da vendedora e outros dizerem que será Vilar de Mouros ?.
O meu bom amigo Arlindo Bento enviou-me fotos da sua última aquisição,  travessa de esmalte de beleza irradiante.
  • Analisados os pormenores do rebordo com recortes nos cantos e a cor castanha aberta sobejamente pintada nos seus motivos de casario.
  • Decoração a cheio acompanha toda a travessa apenas ornada com fino filete antes do rebordo, pintura manual de folhas de fetos secos  típicos na região.
  • O tardoz,o esmalte ligeiramente amarelado, decoração e cor será fabrico de Coimbra(?) meados do século XIX.

Comentários

Postagens mais visitadas