Faiança de Darque Viana do Castelo (?)

Prato com o diâmetro de 34 cm comprado na feira de Paço d' Arcos.
Mal estimado apresenta um "cabelo grande" e sem esmalte no olho da flor ao centro , rebordo brocinado. Fabrico em argila branca de esmalte branco translúcido.
Darque produziu pratos até aos 40 cm.
Uma técnica de conservação e restauro de cerâmica enviou-me um email, e fez muito bem, condoída com as coisas mal feitas que faço às minhas faianças. Já lhe agradeci de coração o ter-me esclarecido.
Aqui reproduzo para vós a não fazerem o que habitualmente ingenuamente escrevo:
-limpeza das peças com lixívia: nunca a deve utilizar em peças porosas como as faianças, pode deixar resíduos que mais tarde cristalizam e podem fazer estalar o vidrado. Use álcool, detergentes, água morna e até acetona ou água oxigenada e no fim passe muito bem as peças por água, de preferência destilada.
- lixas nos agrafos: tem de ser muito muito devagar para não riscar o vidrado, use depois um verniz banana (encontra nas drogarias) que é transparente e próprio para metais.
Não use água a ferver nem as coloque na máquina de loiça, apenas as porcelanas podem aguentar tal tratamento e mesmos assim não recomendo.
Carinhosamente remata " continue na pesquisa e compras de belas peças, é sempre bom ler os seus posts."
Bem haja Sandra Pena!

Voltando ao prato, adoro este tamanho e policromia.
No imediato atribui-o a Fervença? Apesar de não existir nenhuma peça com marca desta fábrica.Esmiucei detalhes!
  • Ao tempo muitas fábricas pintaram esta decoração e usaram estas cores: verde , azul cobalto, laranja e manganês num castanho escuro em relevo -, é a incógnita da pincelada desta cor que dita a fábrica!
Filete largo em amarelo no rebordo do fundo, carateristica de  Darque , também usada por Fervença, e outras fábricas a laborarem em Gaia. Analisando o tardoz pela textura apresenta uma massa homogénea, esmalte branco, polido, brilhante e leve que me dita dúvidas na atribuição, inclino-me para produção de Darque-Viana, por terem produzido grandes pratos e desempenados, pela beleza do esmalte branco, mas os arabescos a vinoso terminam sempre muito finos, em relação à outra decoração idêntica, que pode evidenciar fabrico de outra olaria.

Coloquei-o junto a outro muito semelhante, embora com nuances diferentes, nomeadamente o manganês cor borra de vinho chamado de vinoso no prato pequeno é esbatido no esmalte enquanto no outro é em relevo.Também o filete fino em amarelo ao centro enquanto no outro é largo.
  • Evidencia que o primeiro, o mais pequeno poderá ser atribuído a Fervença, por as cores se refletirem no tardoz (?).
  • O grande inclino-me para Darque (?)

Comentários

  1. Que posy lindo! Adorei ler e principalmente, ver as fotos destes belos pratos.
    abraços
    Fábio

    ResponderExcluir
  2. Olá Fábio. Muito obrigado pelo comentário.
    Bj
    Isabel

    ResponderExcluir
  3. Oi Maria Isabel
    Tenho vindo sempre apreciar suas peças...não comento, pois acabo sendo repetitiva...lindo! maravilhoso! etc...
    Mas me encanto com tanta beleza...
    bjs
    Tina (MEU CANTINHO NA ROÇA)

    ResponderExcluir
  4. Oi Tina
    Muito obrigada pelo seu comentário.
    Gosto sempre da sua presença de palavras doces a inspirar o seu país, o Brasil.
    Bj
    Isabel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas