Pequeno prato de faiança com marca "1" fabrico de Coimbra (?)

Encontrei um pequeno prato de faiança, com um "cabelo" de apenas 15 cm de diâmetro, na banca da Jú e da Anabela, na feira da ladra.
De pintura singela, além da pequenez que me atrai, foi outro o fator que fez que o trouxesse comigo. Descubram mais à frente.
Apresenta-se decorado ao centro com estampagem de um pequeno ramo floral  em policromia;verde e ocre
A aba também com estampagem de flores simples em azul cobalto
Dá para ver e bem, que o esmalte "agarrou" mal à massa , por esta ser de fraca qualidade na mistura de muitos materiais plásticos, por isso a má aderência do vidrado que se mostra e muito com " arrepiados e buraquinhos", seja pela frente, mas sobretudo no tardoz.
No tardoz ao centro marcado na massa com o algarismo nº 1.
Foi este o motivo principal da compra. 
A primeira vez que encontrei um prato minúsculo, marcado na massa com o algarismo "1", da Fábrica Viúva Lamego. O segundo foi este -, antes só vira em terrinas ou sopeiras, que tenho exemplares marcados com os nºs 1 - 3- 5 ( julgo que ao número poderia corresponder o tamanho ou formato(?), agora com o prato fiquei com mais certeza que estou no caminho certo(?).
Minha última aquisição, terrina marcada na pasta com o nº 5 e com o nome do artista José Cardoso (?) e local de fabrico- Coimbra
No caso do prato o nº 1 impresso seria referente ao prato que se chama de sobremesa (?)
Com muita certeza o seu fabrico é de Coimbra(?) dos meados do século XX.Embora as flores em azul da aba nos catapultem para o norte em Gaia onde foram pintadas por várias fábricas e o mesmo do ramo central.
Distingue-se a utilização de barro vermelho, a cor azul cobalto só as olarias mais credenciadas e abonadas financeiramente o podiam comprar, por ser muito caro, ( no tardoz há marcas de azul, o que evidencia no forno este foi cozer com demais faiança nesta cor pintada), também pela decoração, mas sobretudo pela numeração impressa, que no caso das terrinas são também com muita certeza de fabrico de Coimbra.
Não deixa de ser surpreendente como à partida um pequeno prato "tão mal amanhado" , acaba por se mostrar hilariante, para os amantes da faiança , divagar na sua origem e com isso deslumbramento pela graciosidade.

Comentários

  1. Parabéns Maria Isabel, fantástico, sem palavras :) Bjo, jorge saraiva

    ResponderExcluir
  2. Caro JS bem haja. Verdad, singelo mas delicioso.
    Bjo
    Isabel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas