quarta-feira, 1 de abril de 2015

Travessa floral atribuição a Coimbra(?)

Formulo votos de uma Santa Páscoa a todos os meus visitantes com amores perfeitos amarelos na feira de velharias do Montijo!
Podia ter feito outra escolha, a decisão coube a esta travessa com flores e ramagens da minha terra.
Uma peça grande.Apresenta-se decorada a flores rosa, com olho verde, ligadas por folhagem a dois tons;azul claro e azul escuro. O esmalte em tom amarelado de rebordo recortado nos cantos.
Sem marca. Grande probabilidade de fabrico de Coimbra(?), atendendo ao esmalte, decoração, recortes na aba. Atribuição ao  século XX, sem dúvida.
 Tardoz com três "gatos". Interessante  as nervuras que se vêem na elevação do covo para a aba.
 
Outro prato decorado com a mesma decoração.
 Assim ficaram juntos na estante.

3 comentários:

  1. Cara Isa Coy,

    Mais duas bonitas peças!

    A propósito de um post seu de Maio de 2010 em que começa por dizer “Adoro talhas e talhinhas! Das antigas, em barro artesanal. De todos os tamanhos e feitios” gostava partilhar consigo uma foto de uma talha maravilhosa em barro pintado que herdei do meu avô mas nunca consegui identificar a origem. Para além dessa tenho outra Viúva Lamego em barro vermelho, muito vulgar mas também muito bonita… e fica bem na cozinha.

    Se estiver disponível para tentar esclarecer essa curiosidade de sempre, minha e da minha mulher, ficava muito agradecido. Julgo que não se podem anexar fotos neste espaço de comentário. Por isso lhe deixo o meu contacto de email: martinsacg@gmail.com

    Renovo os votos de uma Feliz Páscoa.

    Cumprimentos,
    Carlos Martins

    ResponderExcluir
  2. Caríssimo Carlos Martins acredite que foi muito agradável chegar e, encantar-me com o início do comentário que me encantou, por me parecer doce , afinal escrito por mim em 2010...sou mesmo mulher de afetos, falo o que sinto. Vou enviar-lhe um email para trocarmos fotos.
    A Páscoa correu bem, espero que a sua também.
    Constância, terra que defende a nascença de Camões, onde o Tejo e o Zêzere, se cruzam em beijo infinito de águas, na ponte de bela grade em ferro forjado e, as casinhas brancas, ornadas a ocre, onde não faltam sardinheiras, escadinhas e becos, um encanto de terra para se viver.
    Tudo a correr bem para si e esposa.
    Cumprimentos
    Isabel

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Sr. D. Isa. Tenho uma terrina com os mesmos motivos do seu açucareiro com motivos florais e asa em forma de "M". Por acaso, conhece a sua origem?
    Com os melhores cumprimentos, Manuel Oliveira

    ResponderExcluir

Souvenir da Fábrica Cesol de Coimbra

Caneca da Fábrica CESOL de Coimbra anos 50. Pintura monocromática em castanho . Imagem de Nossa Senhora da Rocha dentro de um coração en...