terça-feira, 25 de março de 2014

Prato oitavado com naipe de carta de póquer

Descobri este prato num estaminé de chão. Há mais de um ano vira outro idêntico que a vendedora fazia à  minha amiga que me acompanhava a módica quantia de 40€, pois pedia  ao público muito mais.
  • O que me fascinou no imediato nesse prato foi o formato quinado e ao centro uma Cruz -, o que me pareceu -, por ter na memória a visualização de  uma esculpida em pedra num portal de uma mina d'água , que me parecia igual e com ela andava às voltas para saber a Ordem a que pertencia. 
Hoje penso que estava enganada. Mostrei o prato ao Pedro  a quem comprei uma travessa, que me alvitrou ser um naipe de póquer...
  •  Visiveis arrepiados no esmalte nos cantos do rebordo pelas impurezas da argila.
  • O tardoz apresenta-se brilhante, ao centro amarelado como se vê noutra faiança atribuida a Coimbra.
  • Fabrico entre finais do século XIX, início do XX.
  • Segundo o Pedro num catalogo de leilões em tempos apareceu um prato destes atribuído a fabrico de Coimbra. 
  • O autor revela-se no formato e na temática decotativa pessoa criativa à época  em dignificar com arte uma peça de faiança que bem poderia ter honras de exposição, seja pela forma oitavada tão usual no formato de travessas que se mostra em prato bela, moderna, de textura leve de bom esmalte numa arte , a do jogo de póquer, quiçá praticado pelas senhoras da nobreza (?).


A decoração central é representada por uma carta do naipe de "paus" delimitada por ramos de flores em policromia, de rebordo oitavado delimitado por fino filete em azul e outro mais grosso em vermelho no rebordo, antes do covo.
 
Temática de novo pintada no periodo Art Déco


Cinzeiro  anos 50 da Fábrica Aleluia de AveiroFoto retirada http://modernaumaoutranemtanto.blogspot.pt/2012/02/cinzeiro-anos-50-modelo-630-aleluia.html


2 comentários:

  1. Muito, mas muito curioso. Parabéns Mª Isabel e obrigado pela partilha. Bjo, js

    ResponderExcluir
  2. Caro JS muito obrigado pelo comentário. É este despertar que a surpresa, que nos deixa hilariantes, e a outros, tais como nós amantes da faiança, de ainda hoje se encontrar motivos que nos surpreendem de forma curiosa.
    Bjs
    Isabel

    ResponderExcluir

Souvenir da Fábrica Cesol de Coimbra

Caneca da Fábrica CESOL de Coimbra anos 50. Pintura monocromática em castanho . Imagem de Nossa Senhora da Rocha dentro de um coração en...