Faiança José Reis Alcobaça (?)

Comprei este pequeno prato na banca do Sr Pedro na feira de Azeitão. Carote...
Como faiança de JOSÉ REIS DE ALCOBAÇA.
Motivo casario com cúpulas e telhados diferentes .
Árvore de ramos delineados em graça e folhas no pé,  folhagem em esponjado tal como o  rodapé  da pintura manual em  aguada amora , ornado na aba do rebordo por filete largo-, onde se notam o sítio das trempes que
"estragaram" o esmalte.

Tardoz emana uma patine em tom avermelhado. Coisa que estranhei. Sendo o barro em Alcobaça da melhor qualidade em branco, esperava um esmalte mais translúcida, branco, e não o é!
  • POR ISSO FICA A DÚVIDA-, apesar da cor certos autores a atribuírem este tom a um seixo da região de Leiria  ao ser triturado.
  • Mas Coimbra também pintou cores desde o preto e azul em misturas de aguadas que deram pinturas séptia, outras bonitas azuladas,e acastanhadas, sem definição concreta ,da cor primária, mãe.
Possivelmente será fabrico do tempo que esteve em Coimbra-, porque aí sim fabricava-se com barros de várias proveniências , branco, amarelado, vermelho e misturas quando o deixavam chegar aos restos.
  • Porque não tenho nenhuma dúvida em se tratar de José Reis!
Suscitaram-me dúvidas se o fabrico dos meados do século XIX  foi no tempo que viveu e trabalhou em  Coimbra ou  quando se foi para Alcobaça a partir de 1875! Mas foi Alcobaça. Tenho uma almofia com o mesmo motivo com os ramos desenhados a mais escuro que no tardoz tem uma marca esborratada mas se identifica OAL. Depois de José Reis ter falecido a fábrica  foi arrendada , viria nela a nascer mais tarde a OAL que numa fase pintou na continuidade do antecessor.
Segundo informação do meu bom amigo Jorge Saraiva  da Oficina a Formiga passo a citar o seu comentário - " as pastas brancas, se estiverem mal cozidas, ficam cor de rosa e depois, por muito bom que seja o vidrado (com óxido de chumbo que lhe dava a transparência e brilho, e o óxido de estanho que lhe dava a opacidade branca )o tom rosa fica sempre marcado ".

Comentários

  1. Ora viva Maria Isabel, olhe, as pastas brancas, se estiverem mal cozidas, ficam cor de rosa e depois, por muito bom que seja o vidrado (com óxido de chumbo que lhe dava a transparência e com brilho e o óxido de estanho que lhe dava a opacidade branca)o tom rosa fica sempre marcado. Bjo, js

    ResponderExcluir
  2. Olá JS. Muito obrigado mais uma vez pela sua sabedoria.
    No caso anula as dúvidas de vez.Vou acrescentar ao post.
    Bem haja por estar atento, sobretudo pelo gosto da partilha.
    Sempre em grande!
    Bjo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas