quarta-feira, 5 de junho de 2013

Faiança variada de Coimbra (?)

Duas peças magníficas para colecionadores. Encontrei na banca do Jorge em Coimbra estas duas belas peças que tinha comprado julgo numa feira nas Beiras -, Guarda, Castelo Branco, Covilhã, Fundão ou...
  • Travessa de rebordo recortado toda ela pintada com flores  em vermelho com olho amarelo, ligadas entre si por "volutas" com folhas a cor amora(?) nem preto nem azul, um tom muito usado em Coimbra em determinada época em finais século XIX.
Volutas -, ornato em forma de espiral que se abre em ondas em labirinto como se fosse fumo...) Atrevida como a palavra me soa "muda" inventei volúpias, pela imagem que no imediato se formou na minha cabeça... para mim o termo incita o deleite da onda criativa do pintor em deambular com o pincel como se viajasse com prazer dispersando-se por toda a peça, por isso irradiam tamanha beleza ao ser contempladas.
Há quem atribua o nome de pétalas e flores quando as mesmas se fecham como na bacia de lavatório , por certo terão outro nome mais comum(?)....e tem VOLUTAS.
  • Vejam-se as semelhanças dos tardoz com uma travessa que vendi...
As nervuras na subida do covo para a aba
Os recortes na aba.
O mesmo esmalte.
Supostamente saíram da mesma fábrica de Coimbra(?).
Confrontemos a semelhança da pintura da travessa apresentada em primeiro lugar com este meu prato que mostro abaixo
  • O mesmo olho na flor em amarelo e as "volutas"
  • Apresenta gravado na massa um pequeno "A" Alcobaça (?) 
  • No Museu Dr Jorge Sampaio em Alcobaça, tem uma travessa semelhante
A esta   que me foi oferecida pela amiga Isabel Saraiva, recortada no bordo, decoração à imagem da árvore de Jessé , que se ramifica com folhas. Mas este formato de rebordo recortado é Coimbra(?)
Bacia de lavatório em barro vermelho também com "volutas" atribuída a Coimbra (?).
 
Uma bacia de lavatório na banca do Jorge, decorada ao centro com filete largo em azul , seguido de dois  outros mais finos e um terceiro mais grosso de onde irradiam para a aba filetes a ocre que unem reservas de flores em jeito de gomos tipo coração, na ligação deles meias luas a manganês com quadrado em bico a ocre. Na interligação dos gomos dois arabescos a manganês mais intenso.Fabrico de Coimbra (?)
Baseei-me na textura da massa, decoração, cores e nos esmaltes ao toque e ao olhar. 

Termino com estendal de colchas em bordado Castelo Branco na banca do Jorge a preços acessíveis . 
  • Uma vez uma senhora em Setúbal disse-me que tinha duas para vender feitas no Museu em Castelo Branco ...fiquei sem fala quando me disse que pedia por cada uma 12.000cts...ora já andamos nos euros desde 2000, a senhora tinha ar de fineza mas pareceu-me de bolsa vazia!
Não estando marcadas há sempre margem para discursar,  por isso ser tão interessante a partilha e mostra de peças por semelhança, só  assim ser possível conseguir enxergar conclusões!

5 comentários:

  1. Olá Maria Isabel, obrigado pela sua partilha, tanto a travessa como o prato acho fantásticos, embora considere que a maioria os acharia feios... Ando há que tempos para fazer umas coisas dessas... Bjo js

    ResponderExcluir
  2. Olá JS muito obrigado pelo seu comentário.
    Pode até nem acreditar, mas já tinha estranhado o meu amigo não pintar "volúpias" ou será que tem outro nome mais comum?
    Vou acrescentar ao post uma bacia grande de lavatório só em azul também neste motivo, para contraste com as demais dá mais realce, e a si pode ajudar a fazer na sua produção uma nova imagem apelativa.
    Bjo
    Isabel

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Maria Isabel,
    Está a picar-me... Olhe não conhecia o termo... brevemente... Bjnho, js

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Caro JS agora quem ficou "enrascada" fui eu...será que inventei o termo? Há quem lhe chame pétalas e flores...
    Para mim o termo volúpia incita o deleite da onda criativa do pintor em deambular com o pincel como se viajasse com prazer dispersando-se por toda a peça, por isso irradiam tamanha beleza ao ser contempladas.
    Aliás acho bonito esta descrição...não seja motivo de falta de modéstia a vou acrescentar ao post, para não haver supostas interpretações.
    Bem haja
    Bjo

    ResponderExcluir

Souvenir da Fábrica Cesol de Coimbra

Caneca da Fábrica CESOL de Coimbra anos 50. Pintura monocromática em castanho . Imagem de Nossa Senhora da Rocha dentro de um coração en...