Penico de faiança de Coimbra(?)

Comprei este penico  na feira Sem Regras em Santa Clara em Coimbra no sábado passado.O vendedor tinha outro marcado da fábrica do Outeiro de Águeda que deixei ficar porque hoje temos de fazer contas!...mas tive pena!
  • Julgo que o seu fabrico é fácil atribuir a Coimbra sem quaisquer dúvidas aos  finais do século XIX (?).
Havia na casa de família iguais , apenas diferiam no formato mais redondos, maneirinhos, de resto tudo igual com muitos arrepiados no vidrado.
  • A nervura na asa, e abaixo do rebordo são caraterísticas usuais de Coimbra que se nota na 1ª foto.
Claro que sabemos que outros artesãos oleiros copiavam as técnicas, as cores...
Interessante é constatar a meia roda gravada na pasta na feitura da peça, já vi num prato igual ao centro o mesmo.

Enfim mais um penico para a minha coleção!

Comentários

  1. Olá Maria Isabel, pois aqui tem um belo trabalho de roda, com uma decoração simples de somente a vidragem em vidrado estanhífero. Os arrepiados têm origem na pasta. Pelas imperfeições esta peça era considerada de grosseira por ser cozida em mono cozedura (o vidrado cozia simultâneamente com o suporte) e normalmente era colocado em cima da pilha do forno para cozer, como estava mais afastada do fogo aguentava. Então, durante a cozedura da pasta libertam-se gases e queimam-se impurezas que nela existem, ficam buracos (quando ardem pequenos grãos de carvão) e os gases ao sairem deixam canais ou obrigam o vidrado a repelir, é sempre uma incógnita, para mais se o vidrado não tiver tempo ou temperatura suficiente ele não cobrirá essas imperfeições... Quanto a outro tipo de imperfeições como os riscos, devem-se a areias contidas na pasta, e que o oleiro no final da peça conformada à mão passa um raspador para alizar a superfície. Como era sempre "a andar" e era para vender barato, nem rectificavam com uma esponja e dava origem a esses riscos e mais próximo do centro da peça a circulos ou meios circulos... Bjo js

    ResponderExcluir
  2. Olá JS muito obrigado pela cortesia e pelo testemunho sobre o fabrico da faiança à roda de oleiro.
    Um forte contributo para os amantes desta arte.
    Bem haja pelas suas explicações sempre atentas e gratuitas na partilha que muito estimo.

    Bjs
    Isabel

    ResponderExcluir
  3. Olá,Isa
    Belo penico
    Gostaria eu de ter pelo menos um peniquinho desses
    Mas como não posso andar pelas feiras de velharias...contento-me em ver os seus belos penicos neste seu blog
    Um beijinho

    ResponderExcluir
  4. Cara anónima (Ana?) muito obrigada pela cortesia da visita.
    Já vi que partilhamos o gosto pelos penicos...
    Deixei outro na banca marcado do Outeiro...gastar dinheiro tem de ser comedido nos dias d'hoje.

    Bjs
    Isa

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas