quarta-feira, 17 de abril de 2013

Faiança falante alusiva ao Amor...

Hoje apresento mais uma vez a minha coleção de faiança alusiva ao AMOR com mais dois exemplares novos.
  • Uma Falante  
  • Outra identificativa na decoração com a simbologia alusiva ao tema:
  •  corações, chaves, pomba, setas...
Estes pratinhos amorosos Falantes - comprei na feira Sem Regras em Coimbra no início do mês num colega que não conhecia julgo se chama Miguel. Na sua teimosia não vendia um, só o par -, nessa teimosia afincou pé,  tive de regatear e bem para os trazer, o que muito me deixou encantada.
Característica de duplo filete no limite do bojo e no rebordo poderá ser fabrico de Coimbra tal como o filete largo ao meio da aba floral.
Pois em Alcobaça na que veio a ser a OAL também se pintaram pratinhos destes...por isso as constantes dúvidas na atribuição do seu fabrico.
  • Um ofereci à minha filha que vai fazer anos o mês que vêem...adorou simplesmente!
  • O outro fica comigo claro na minha coleção.
ASSINADO Viúva Alfredo Oliveira Coimbra laborou  no Terreiro da Erva até decada de 60...

Dulpo filete no limite do covo e do rebordo em verde ervilha
Duplo filete tal como os outros Coimbra?
Duplo filete no limite do covo e do rebordo Um foi oferta a um amigo
Decoração a estampa Coimbra ?
  • Pratinho falante - M meu  coração e T teu coração fechados à chave, assinado Coimbra, oferta que fiz a um amigo, de todos julgo o mais recente
Pratinho cortesia de um visitante -, António ao procurar informação na net encontrou este post do meu blog, achou, e muito bem que se enquadra na temática
 
O meu comentário ao António 

" Caro António muito obrigado pela cortesia da visita e pelo elogio. Parabéns pela aquisição de um belo exemplar em faiança dedicado aos afetos. Pois a atribuição será o buzílis-, a meu ver poderá ser da zona de Coimbra onde proliferaram muitas olarias(Pombal,Louriçal, Figueira da Foz) a não o ser , será produção de Alcobaça. O oleiro e pintor José Reis foi de Coimbra para Alcobaça em 1875 a mandado do Marquês de Pombal, e claro as primeiras peças fabricadas eram muito semelhantes ás que se faziam em Coimbra, por isso a dificuldade no deslinde de ser ou não ser. 
  • Mas é sabido que em Alcobaça apostou muito nos pratinhos pequenos -, falantes ligados aos afetos, animais e flores, mote de souvenirs para namorados, madrinhas, amizades.  
  • Para mim o seu pratinho de 11 cm de diâmetro pela pargela da bordadura e do azul inclino-me para Alcobaça, anos 20/40 pelo formato das letras (?).
Veja se no tardoz (verso) apresenta as marcas da trempe (3 marcas dispostas em triangulo). O mercado anda infestado de peças falsas ( loiça ratinha, porcelana chinesa, Estremoz, Coimbra e esta pela lindura quem sabe? Todo o cuidado é pouco.
















3 comentários:

  1. Olá Maria Isabel, uma colecção muita fixe, tantas variantas à volta do mesmo tema, 5*. Bjo, js

    ResponderExcluir
  2. De todos, o da VAO é (para mim) o mais admirável.
    Bjo js

    ResponderExcluir
  3. Olá JS muito obrigado pela cortesia da visita.
    De fato o 1º da VAO é muito interessante até para reproduzir...por ser airoso.
    Os pequenotes são uma ternura, adoro miniaturas -, pensar que ao tempo que foram feitas os artífices além de ser criativos gostavam de fazer loiça ternurenta para brilhar nas bancas dos feirantes...e chamar mais negócio.
    Bjo
    Isabel

    ResponderExcluir

Souvenir da Fábrica Cesol de Coimbra

Caneca da Fábrica CESOL de Coimbra anos 50. Pintura monocromática em castanho . Imagem de Nossa Senhora da Rocha dentro de um coração en...