Grande prato de faiança de Coimbra(?)

Grande prato em faiança com 35 cm de diâmetro, de esmalte cor de grão uma caraterística dos finais do século XIX  e inicio XX.
  • Será fabrico de Coimbra (?)
Apresenta ao centro filete largo em verde em círculo limitado por outro fino a castanho e no limite do covo com barra floral em estampa policromada em azul e rosa
  • Tinha uma grande esbeiçadela na aba que restaurei.
tardoz  com arrepiados no vidrado

Comentários

  1. Muito lindos...me encanta! Acabei de dizer a Maria Andrade que meu filho mais velho me trouxe tres pratos de um antiquário, um deles é V.A. muito bonito, só não sei se é bem antigo como disse o senhor que o vendeu. Mas para mim, só de terum prato de Portugal, V.A., já fico feliz...quando ganhei me lembrei de voces minhas amigas queridas, e do Flávio, e Marília Marques tambem...
    bjs
    Tina (SONHAR E REALIZAR)

    ResponderExcluir
  2. Olá Maria Isabel, bom, exemplares curiosos, mas as taças sem dúvida as mais vistosas pelo colorido. Olhe o que quer dizer "talhado a cana"?
    Abraço e bfsemana, jsaraiva

    ResponderExcluir
  3. Olá Maria Isabel, tudo bom?
    Difícil dizer qual, dentre suas peças, é a que gosto mais! Cada uma tem uma razão para ser a "campeã". Portanto, declaro um empate triplo aqui!
    Parabéns pelas aquisições.
    abraços
    Fábio

    ResponderExcluir
  4. Oi Tina
    Que saudades de a ler. Parabéns, o seu filho fez-lhe um boa oferta VA é a melhor porcelana portuguesa.

    Muito obrigada pelo comentário.
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  5. Confesso que não entendo nada de porcelanas,e esse tipo de coisas,mas vou ler com atençao os posts para ver se aprendo alguma coisa.

    ResponderExcluir
  6. Olá Jorge Saraiva.
    Muito obrigado pelo seu comentário.
    O frete no tardoz(friso onde assenta a peça)era talhado com uma cana em jeito de canivete pelos oleiros para cortar a massa, as peças apresentam esta forma artesanal até aos princípios do século XX.

    Abraço
    Isabel

    ResponderExcluir
  7. Caro Fábio. Confesso que já sentia saudades suas.
    Muito obrigado pelo comentário.
    Vamo-nos regalando com as faianças, uns mais do que outros, porque gostos não se discutem.

    Beijo
    Isabel

    ResponderExcluir
  8. Querida Ana.
    Muito obrigada pelo teu carinho.
    Sabes que é uma coisa que podes aprender comigo...lol

    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  9. Tens que me dar uma aula intensiva...e tens que ter paciencia lol

    ResponderExcluir
  10. Bonitos os seus pratos.

    Talvez o último com a sua candura seja o que mais me encantou.

    Bjos, Luís

    ResponderExcluir
  11. Olá Luís. Muito obrigada pelo seu comentário. Sabia que o último seria o seu preferido,tal como a mim, seja pela simbologia, pela pequenez pelo encanto.Adoro este tipo de faiança produzida para adornar o amor.

    Beijos

    Isabel

    ResponderExcluir
  12. estou a começar a aprender e a gostar

    ResponderExcluir
  13. Bem vindo ao meu blog caro Anónimo. O seu comentário deixa-me estarrecida. O que escreveu senti que veio de dentro, sincero, verdadeiro..."estou a começar a aprender e a gostar"....como tudo na vida!
    Somos feitos para sentir paixões!
    A paixão é um sentimento ecléctico. No caso eu sou uma apaixonada pela faiança de Coimbra, outros são pela do norte ou outra fábrica específica, outros ainda por vidros, ferro, cobre, latão e,...uma infinidade de coisas bem diferentes.
    Uma das grandes vantagens desta paixão é que não nos faz sofrer. Nunca! Miramos,contemplamos, mudamos de sitio, estimamos.
    Nunca reclamam, não pedem nada, estão sempre lindas prontas a ser admiradas.
    O único senão?
    Pode-se tornar obsessivo, a sua aquisição, o meu caso.
    Ando nas feiras há 30 anos, mais nos últimos 8. Curei uma depressão a percorrer feiras...
    Ainda nos dá o prazer de escrever, escrever emoções sobre lembranças do passado, dos avós e, ...
    Difícil é parar de comprar!
    Comece a frequentar o buliço das feiras. Sentirá um prazer inusitado pelo contacto com gente anónima. Aos poucos consegue distinguir os vendedores e a sua "manha"...Há os moderados e os atrevidos, isto é os que vendem em conta e os careiros.
    Não sei onde mora. Acaso seja na grande Lisboa, se quiser pode contactar-me via e-mail, um dia marcamos encontro numa dessas grandes como Algés ou Paço d'Arcos. Se viver no centro também pode ser, desloco-me menos vezes, Figueira, Coimbra,Torres Novas, Tomar.
    Viajamos pela feira...
    Vai ficar cansado.
    Falo pelos cotovelos. O meu marido é diferente, mais para o calado.

    Um abraço
    Isabel

    ResponderExcluir
  14. Ola.Meses depois e depois de muitas feiras e muitas compras acho que vou "culpa-la por este meu novo vicio".
    Já agora sou do Norte

    ResponderExcluir
  15. Caro anónimo. Seja bem vindo ao meu blog. Muito obrigado pelo seu comentário. É um vício um nadica caro - mas benéfico - pode sempre voltar a vender, mas antes admira, mira, e sente um prazer sem explicação pelas memórias, emoções de tempos de antanho.
    No norte estão os meus melhores amigos...sabia?
    Cumnps
    Isabel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas