Travesinha oval gomada Raul da Bernarda (?)

Agradeço ao Mercador Veneziano, um rapaz giro e muito simpático que bem podia ser meu filho na ajuda para a catalogação desta peça.
Casualmente, sem nada o fazer prever na sua banca apreciava uma chávena VA, e num impulso pergunta-me se sou a dona do BLOG "LÉRIAS E VELHARIAS...Espantada,respondo que sim e perguntei como me reconheceu?
Resposta escorreita...Já vi fotos suas publicadas eheheh
Encontrou-me novamente na feira de Tomar, estivemos a conversar e disse-me que tinha deixada uma nota...
Voltei e pedi via email, satisfeito o pedido aqui fica para registo.
Digo em abono da verdade que tem fortes possibilidades de ter sido feita pelo Raul da Bernarda, a foto está publicada em rodapé do post.
Bem haja Ricardo, você é um homem fantástico, simpático e colega... brigada...

Comprei-a numa feira muito baratinha, sem marca.
Atendendo ao espólio da banca marcado "Cavaco" carimbo em circulo, julgo a última usada, é uma probabilidade também ser, até porque já vi uma em maior semelhante e marcada. Havia peças soberbas, travessa grande quinada e terrina oval motivo cantão popular, pessoalmente aprecio o mesmo motivo nesta fábrica mais antigo, como um pratinho que tenho e dei outro igual ao Luís do Velharias. Agora, nunca antes tinha visto dois pratinhos de rebordo para dentro, uma autentica loucura no mesmo motivo, pedi-os por segundos...outra apreciadora encantada com os azuis, os levou e a travessa também por um preço fabuloso...algures estarão expostos num parede a derreter olhares..na linha do Estoril.
Prendi o olhar nas cores, sobretudo no azul e no tijolo.
O cestinho ao centro uma graça, tão mimoso.

Tardoz da travesinha oval gomada, ligeiro cabelo, deixei a aranha primitiva que no caso acho uma delicia.

As peças pequenas exibem por vezes uma beleza estonteante que
nas grandes...se perde, logo eu que gosto de pratões, esta travesinha encantou-me...

Comentários

  1. Ola Isabel, como estás amiga?
    Eu gosto em especial de peças pequenas, acho-as mais "mimosas" e esta travessinha tem umas cores bem bonitas...

    Um abraço apertado e boas obras

    Marília Marques

    ResponderExcluir
  2. Que peça genuinamente encantadora! Gostei muito da pintura, e concordo com você: o motivo central é uma graça!
    abraços e parabéns pela compra.
    Fábio

    ResponderExcluir
  3. Olá Maria Isabel
    Vai-se ausentar? Parece que andamos à vez :)
    Obras em casa é de fugir, mas tratando-se do telhado, não há tempo a perder.

    Gosto da sua travessa. A aba, faz lembrar uma renda,e tem umas cores lindas. O motivo central também é muito bonito. O cesto recorda os gráficos dos bordados a ponto de cruz.
    Um abraço e boas obras. Que não demorem muito e fiquem bem.
    Maria Paula

    ResponderExcluir
  4. Querida Marília muito obrigada pelo teu comentário.
    Acredita que postei esta travesinha a pensar em ti, sei que gostas em especial das peças mais pequenas, por isso te ofereci uma aneleira pequeninissima feita em Coimbra na viúva Alberto Oliveira.

    Estou bem sim, obrigada.Desculpa andar desmazelada na nossa amizade, Amanhã mando-te um email
    Bj
    Isabel

    ResponderExcluir
  5. Olá Fábio.
    Obrigada pelo comentário. Estou feliz por gostarem da minha travesinha. é invulgar, o tijolo.
    Bj
    Isabel

    ResponderExcluir
  6. Olá Maria Paula
    Muito obrigada pelo seu comentário.
    Ainda bem que se lembrou de acrescentar que o cestinho faz lembrar renda, ponto cruz...tão delicado.

    Beijinhos
    Isabel

    ResponderExcluir
  7. Fiquei encantada com esta peça...é belíssima!
    o cestinho ao centro de uma delicadeza ...
    bjs
    Tina (SONHAR E REALIZAR)

    ResponderExcluir
  8. Brigada Tina.

    Gostei da foto do perfil.
    bjs
    Isabel

    ResponderExcluir
  9. Cara Maria Isabel,

    ao folhear um livro sobre faiança de Alcobaça, nomeadamente a obra intitulada "Cem Anos de Louça em Alcobaça", autores Jorge Pereira Sampaio e Luís Peres Pereira, 2008, pp. 49, deparei-me com um covilhete de formato e decoração central extremamente semelhante à sua peça, pelo que segundo o livro, tem boas hipóteses de pertencer à Fábrica Raul da Bernarda no período 1933 a 1935.

    caso não tenha acesso ao livro, posso tirar uma foto e enviar-lhe para que deste modo possa actualizar a informação do seu post.

    Mercador Veneziano

    ResponderExcluir
  10. Ola Isabel!!


    O motivo faz-me lembrar os azulejos que durante anos decoraram a fachada de uma quinta na minha rua, mas que infelizmente foram roubados...


    Bjinho

    Flávio

    ResponderExcluir
  11. Caro Mercador Veneziano.

    Gostei imenso de o rever em Tomar.

    Sim agradeço que me enviei via email.

    Muito obrigadopelo seu esclarecimento.
    Isabel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas