Terrina de faiança atribuida a Coimbra (?)

Comprei esta terrina na feira de Algés.
Formato hexagonal bojudo e quinado dos lados de textura de barro branco.
A decoração apresenta-se em palete cromática de policromia num tema muito usual: casario rodeado de flores com  palmeiras e árvores de ramagem em  esponjados, tal como o rodapé em tons a manganês e verde ervilha, dos lados raminhos de flores.
Esmalte brilhante,  sem tampa.
Fabrico atribuído a Coimbra à semelhança do que José Reis pintou na cidade antes de 1875-, ou  início XX pela  marca impressa  "1" ..


O fundo da terrina apresenta uma marca gravada  em relevo "1".
           Nunca antes vi e mal lhe peguei foi atributo que me fascinou.


Nota-se a pega da terrina e as flores em estampa que a embelezam dos lados, característica de Coimbra.

Por gostar tanto da terrina acabei por a deixar na minha sala em detrimento de uma em redondo completa de Serraguimines...o cansaço tem destas coisas!



Comentários

  1. Ola Maria ISABEL!

    Adorei esta terrina!!

    Muito mesmo!

    Por aqui não há muita loiça dessa... Pucha 15 euro não é nada... Claro que se fosse por 10 era ainda melhor =D

    É linda!! Gosto muito mesmo!!
    Tbm gosto de Coimbra, não é so VA Xp e Sacavém.

    Um bjinho

    Flávio

    ResponderExcluir
  2. Olá Flávio, obrigada pelo comentário.
    De facto é uma peça especial, ao vivo ainda é mais encantadora.
    Bj
    Isabel

    ResponderExcluir
  3. Ah! que LINDA! Fiquei feliz por você ao ver as fotos. Parabéns!
    Adoro decoração com estanhola assim, e os esponjados deixam a peça ainda mais encantadora. E que cores!
    abraços
    Fábio

    ResponderExcluir
  4. É linda minha querida....isso é que é olho treinado para faianças admiráveis... tambem queeeeeeeero uma dessas...à pouco tempo adquiri uma travessa com umas flores parecidas com a que a terrina tem perto das asas...mas parece-me que a travessa é de massa mais fina e leve....
    Um beijinho muito grande amiga, tou com saudades, temos que combinar uma ida à feira da ladra...faz sempre bem... :-)

    Marília Marques

    ResponderExcluir
  5. Olá Fábio que bela surpresa, há que tempos que não o via por aqui e confesso que sentia saudades.
    De facto esta decoração policroma é muito bela, e o brilho dos esponjados magnifico.
    Volte sempre
    Bj
    Isabel

    ResponderExcluir
  6. Querida Marília, muito gentil o teu comentário...o costume!
    Sabia que te encantaria, é linda, tive muita sorte quando lhe pus os olhos em cima.
    Sim,tenho um olho clínico apurado para faiança de Coimbra a minha eleita...sabes!
    Também estou com saudades tuas, este mês mais apertadita com os pagamentos de impostos, que já paguei para...não me entusiasmar nas compras...
    Quando te der jeito diz para irmos à feira
    Fica bem...sabes que me lembro de ti...mas também não ando bem...
    Desculpa as ausências...
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  7. Olá,
    Não deixo de acompanhar teu blog, mas ando sem tempo para comentar, infelizmente! Trabalhos demais! E ainda por cima o apartamento agora está em obras.
    abraços

    ResponderExcluir
  8. Olá Fábio
    Muito obrigada pelo carinho
    Bj
    Isabel

    ResponderExcluir
  9. Maria Isabel!
    Que terrina tão bonita! Tem uma combinação de motivos e cores que não me parecem muito comuns.
    Aqui no norte, não encontro faianças tão bonitas como as que mostra, e as que aparecem, são a uns preços proibitivos. Mesmo assim, tenho feito umas "comprinhas" :) Tenho umas peças interessantes para mostrar, mas, estou "possuída" por uma preguicite aguda e ando meio perdida neste início de ano letivo.
    Beijinhos
    Maria Paula

    ResponderExcluir
  10. Olá Maria Paula, muito obrigada pelo seu comentário.
    De facto tive uma sorte extraordinária quando a vi.
    Aguardo com expetativa as suas aquisições.

    Bom ano letivo e bom fim de semana

    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  11. Olá Maria Isabel,
    Ainda não tinha conseguido aqui vir com tempo, tal tem sido a azáfama em que tenho andado!
    Só para dar resposta aos comentários no meu blogue e para ir retribuir visitas "ao estrangeiro" :) às vezes vejo-me aflita.
    Mas o que interessa para aqui é que fiquei novamente de boca aberta com a beleza de mais uma terrina comprada por uma bagatela... para o que é, claro.
    Agrada-me muito a forma oitavada e a decoração é deveras interessante. Fica muito bem assim, como centro de mesa.
    Desta maneira vai enriquecendo a sua coleção de faianças e, com tantas peças, pode fazer estudos e comparações...
    Beijos
    M.A.

    ResponderExcluir
  12. Olá Maria Andrade, muito obrigada pelo seu comentário.
    Não haja dúvida que se trata de uma peça bonita e tal como o bem diz vou enriquecendo a minha coleção de faiança Coimbrã que tanto adoro e faço os meus estudos sobre ela e comparações. A semana passada estive num antiquário perto do castelo de S. Jorge só para analisar peças;Coimbra e de Alcobaça, referente ao perido em que um pintor foi de Coimbra para lá imitando as decorações, sendo que as substanciais diferenças são perfeitamente visíveis in loco a olho nu com duas peças uma de cada sitio que lá estavam. Por exemplo tinha um prato de estampa "cavalinho" que de Coimbra nunca tinha visto e o mesmo motivo buma travessa oitavada que é de Alcobaça, nota-se a textura da peça para grossa, pesada, e a bordadura mais dispersa enquanto em Coimbra é sempre muito mais cheia, mais rica, abundante.
    No mesmo antiquário apreciei peças de cantão popular, outra paixão, porque ainda ando de candeias às avessas com Miragaia e Coimbra.
    Imagine que tive visitas esta semana, tirei o serviço do armário e uns pratos muito bonitos da SP de Coimbra que comprei numa feira impecáveis, novos que acredito oferecidos e nunca usados e logo vendidos quando a dona morreu...
    Ao limpa-lo para o arrumar reparei no seu tardoz que me chamou a atenção, no imediato achei-o muito semelhante ao último de cantão popular postado à dias atribuído a Miragaia, que gostou muito do recorte e na altura detetei uns riscos na massa, tipo marca?
    A minha teoria começou na comparação de tardoz de pratos S. Roque Aveiro com duas aureolas no fundo, uma grande que acompanha todo o fundo e outra muito mais pequena que rodeia o centro do fundo, que a VA muito perto(Ílhavo) copiou e na sua porcelana comunga as mesmas duas aureolas.
    Olhei demoradamente o tardoz do prato cantão popular, digo-lhe que fiquei estupefacta, o que vi dois traços gravados na massa inclinados que sugerem um "V" ao lado gravado um algarismo "4" e acima deste gravado um "c".
    Sugere fabrico de Coimbra e o V4 fabrico de Vanderlli, século XVIII. O que sei é que se trata de um especial exemplar digno de ser estudado por quem de direito que saiba destas coisas, eu só lá cheguei pela mania de ser observadora e como disse pelo tardoz do parto da SP que é a continuação deste fabrico muito mais antigo...no antigo o mesmo é atribuído a Miragaia

    Isto é delirante, esta a minha paixão.
    Bom fim de semana
    Bjs
    Isabel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas