Amostragem de loiça inglesa

A meu ver apesar de um pouco enfadonho  - uma amostragem em síntese confere ao post uma maior autenticidade, rapidez na procura, sobretudo na riqueza dos comentários, não se dispersa a informação que no caso é crucial para a identificação quer por certeza quer por semelhança com outras peças iguais, por infortúnio não foram marcadas na origem.

Especialmente dedicada à nossa querida Maria Andrade que adora a loiça inglesa.Digamos uma "prendinha" pela chegada do seu neto Gabriel.

http://www.academia.edu/249514/A_louca_inglesa_do_Seculo_XIX

Independentemente do valor que as mesmas tenham, são minhas, gosto delas e apraz-me aqui indo mostra-las neste meu espaço, também de todos vós aqui vêem de fugida, sorrateiros...comentam, ensinam e elogiam. Bem hajam!
Peças da minha coleção
Terrina  modelo Willow Pattern
O mesmo motivo Willow Pattern com uma esbeiçadela no rebordo. A tonalidade do azul  é mais clara.

Marcado Stone China e... 

Outro prato com o motivo Willow Pattern.
Segundo informação do Manel o fabricante é John Meir e Son, cuja marca julgo datar do 2º período, 1837-90, quando o fabricante introduziu na marca o"& Son", e anterior a 1890, pois, após este ano a marca passou a ostentar também o termo "ENGLAND".
Segundo a minha intuição, este seu prato deve datar da fase final do século XIX. 
Prato comprado na feira-da-ladra partido e bem colado. Chegada a casa com a euforia de tirar tudo do saco,mãos trémulas do frio, deixei-o cair no chão,partiu. Paciência a do meu marido em o colar de novo. Pois claro. 

Marcado SPODE

                    Prato comprado na feira-da-ladra. Gostei da tonalidade azul 


Bule trazido da Venezuela nos anos 50 pela minha prima Elsa que fez o favor de me o oferecer. marcado Johnson Brothers, um fabricante que exportou muito, também para Portugal, até recentemente; "Old Chelsea" é o nome do motivo.


Comprei esta travessa na feira de Setúbal por 10 € .Partida, mas muito bem colada.
De um modo geral não gosto de figurativos românticos. Esta por o vendedor ser nosso conhecido, e também pelas cores -, o preto da bordadura a contrastar com o tom cerise central. Quando a inicialmente a postei o Luís do "Velharias" por ter uma da mesma fábrica mas sem carimbo identificou a sua peça pela minha.
Ideia fascinante desta partilha de informação gratuita de pura amizade.

Motivo estampa cavalinho

Prato fundo de C. e J. Shaw, estampado no motivo comercializado em Portugal sob a designação Estátua, popularmente conhecido como Cavalinho em tom verde.
Prato comprado na feira da Costa de Caparica
Comprada na feira da Costa de Caparica. Interessante por a cabeça do cavalo estar virada para trás. Na reprodução dita normal de Sacavém a cabeça do cavalo está de frente. Fabricante C e J Shaw -, nome inglês, que utilizou na marca um lema em latim VINCIT VERITAS, ou seja, a verdade vence. 


 Carimbo redondo com a inscrição: Warrented Stafford Shire - Stone Chin J.B
Oveiro - vendi a um inglês que reconheceu a peça
Conjuntamente com os motivos Chorão (Willow) e Faisão (Asiatic Pheasant), este foi um dos mais populares motivos da louça estampada  do nosso país. Curiosamente, tal não se verificou em Inglaterra, onde as fontes e os livros da especialidade lhe dedicam muito pouca atenção. Curiosamente, ainda, pouco se sabe sobre a empresa C. & J. Shaw, que poderia muito bem produzir essencialmente para exportação e cuja louça surge com alguma frequência nos antiquários de Portugal.

Relativamente à produção, e reprodução, nacional do motivo Estátua - http://mfls.blogs.sapo.pt, notem-se a qualidade e a nitidez desta gravura, bem como o facto de a estátua equestre não apresentar o braço direito levantado, como acontece nas gravuras da Fábrica das Devezas, da FLS e de Massarelos.
O termo "china" é uma palavra inglesa para porcelana, porque afinal a primeira porcelana conhecida vinha da China. "Stone china" significa à letra porcelana de pedra, uma fórmula inventada por Josiah Spode e sobre a marca Spode também havia muito a dizer.
 

Travessa comprada na feira da Costa da Caparica. Partida e muito mal colada. Majestosa. Vim embora da feira sem a comprar. No caminho a conversa sobre a travessa, talvez  nos terem roubado uma com o mesmo motivo da fábrica do género de Sacavém. O azul é o que mais fascina na peça.Chegados a casa conversamos a três. Fez-se luz,fiquei a fazer o almoço eles abalaram, de regresso traziam a travessa. Pu-la de molho 2 dias até descolar. Limpei-a cuidadosamente para retirar as colas velhas. O meu marido colo-a novamente. Parece intacta, tal a perfeição do restauro. 
 Conjunto de prato com chávena
 Duas travessas compradas na feira de Algés
Taça decorada apenas no rebordo com filete e pingos em azul
Pratinho em biscuit Wedgwood
 

Comentários

  1. Ola Isabel, hoje estou pouco inspirada para fazer comentarios,estou muito cansadinha, mas nao queria deixar de dizer que adorei as peças, e a fotografia da cozinha com as faianças expostas...lindas!
    Quero tambem agradecer a visita la no meu blog e o comentario tao querido ao novo post. Um beijinho grande...

    Marília Marques

    ResponderExcluir
  2. Olá Maria Isabel,
    Já ontem, sexta-feira, lhe escrevi aqui um comentário, mas perdi-o. Fartei-me de escrever sobre a sua cozinha e sobre várias peças, mas às tantas voltei atrás para ver um pormenor de uma marca e perdi tudo. Espero hoje não cair na mesma asneira...
    Em primeiro lugar, duas delas são portuguesas: um pires de Massarelos com a marca da âncora e do globo do período Mac Laren, a palavra q está escrita por cima; a molheira tem o motivo Beira de Sacavém. Surpreende-me q outras pessoas q por aqui passam e q lidam imenso com peças destas não a tenham esclarecido sobre isto, afinal interessa aqui sobretudo a partilha de informação e não só os elogios, por mais importantes q sejam, se forem sinceros...
    Quanto às marcas inglesas, vou só falar de duas, para não me alongar muito. O bule não é de marca Chelsea, mas sim Johnson Brothers, um fabricante q exportou muito, também para Portugal, até recentemente e tenho serviços dessa marca; "Old Chelsea" é o nome do motivo. A última travessa não é chinesa, mas sim do fabricante C & J Shaw, nome inglês, q utilizou na marca um lema em latim VINCIT VERITAS, ou seja, a verdade vence. O termo "china" é uma palavra inglesa para porcelana, porq afinal a primeira porcelana conhecida vinha da China. "Stone china" significa à letra porcelana de pedra, uma fórmula inventada por Josiah Spode e sobre a marca Spode também havia muito a dizer. Espero ter sido esclarecedora, embora o mais sintética possível.
    Beijinhos e um bom fim-de-semana.
    Maria Andrade

    ResponderExcluir
  3. Olá de novo
    Já agora queria-lhe dizer q agora concordo com o Luís quando ele lhe disse q não devia mostrar tantas peças de cada vez. Sobretudo quando têm marcas e pormenores q as individualizam, não dá para comentar tantas, 16, só duma vez...
    Desculpe a franqueza, mas senti essa dificuldade neste post.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Olá Marília. Obrigada pelo teu comentário.
    Giro teres gostado da cozinha da minha casa de província...eheheh
    Tenho o hábito de lá cozinhar bons repastos.Vê-se pendurado alguns dos apetrechos...
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  5. Olá Maria Andrade
    Obrigada pelo seu comentário tão a propósito e bem elucidativo como é seu hábito. Já retirei a molheira e o pires.Nunca os tinha postado.Já estão no álbum da loiça de Sacavém. Agora estou a reunir as peças segundo as marcas. Gosto mais.
    Aceito o que diz em relação à amostragem exagerada. Porém , neste caso já tinha postado a terrina, pratos e travessas anteriormente. Pena que não tiveram na altura merecido algum comentário. Decidi juntar tudo e apaguei os anteriores.
    Em relação ao bule tem toda a razão, acontece que o tenho na casa de província e na foto não consegui tirar, o meu inglês é nulo e preferi omitir. Valeu a sua preciosa ajuda sempre atenta e acutilante que aprecio.
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  6. Procedi às devidas rectificações nos posts conforme as explicações da nossa querida Maria Andrade. O meu bem haja pela informação gratuita mui simpática que acatei de muito bom grado.
    Obrigada Maria Andrade
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  7. Já dei conta que sou o mais atrasado; e, Maria Isabel, realmente confesso que não é fácil comentar tal quantidade de peças duma só assentada.
    Apesar de experimentar alguma dificuldade em conseguir perceber algumas das marcas a partir das fotos que apresenta, posso afirmar-lhe que o seu segundo prato do "Willow Pattern" é de John Meir & Son, cuja marca julgo datar do 2º período, 1837-90, quando o fabricante introduziu na marca o"& Son", e anterior a 1890, pois, após este ano a marca passou a ostentar também o termo "ENGLAND".
    Segundo a minha intuição, este seu prato deve datar da fase final do século XIX.
    A Maria Andrade também já lhe identificou outras peças, e, a pouco e pouco, a Maria Isabel vai conseguindo perceber o que possui.
    Um bom Domingo
    Manel

    ResponderExcluir
  8. Cara Isa
    Gosto da nova fotografia do seu blogue.
    Pode-se imaginar a Isa em grande lufa-lufa, nos seus cozinhados, ou, calmamente beberricando um café, enquanto olha a sua colecção de pratos e quem sabe,cogitando sobre qualquer outro local que os possa receber. Falo por mim, pois volta e meia gosto de mudar o sitio às peças que vou tendo por aqui e por ali.

    Quanto à sua colecção de loiças inglesas, dou-lhe os meus parabéns! Tem peças muito bonitas. As minhas preferidas, são os pratos da sétima e nona fotografia. Também me rendo perante a travessa com a cena romântica.
    Uma boa semana para si.
    Abraços
    Maria Paula

    ResponderExcluir
  9. Ola minha querida Isabel, parece que aos olhos de Maria Andrade foi um erro eu ter passado pelo blog, tenha comentado e não tenha falado acerca do pires e da molheira, mas quero que saiba que sei o que se sente quando postamos algo que gostariamos que chegasse até aos nossos habituais visitantes e que ao contrario disso parece não haver visitas pois não há feedback, daí eu ter colocado um comentario muito simples e com elogios sinceros, uma vez que a mentira e a falsidade nao fazem parte da minha vida. Sendo assim, apresento desta forma as minhas desculpas mas não estando em condições de descrever as peças apresentadas não queria deixar passar em branco a minha visita.
    Tambem sei o quanto é bom ter alguem do outro lado da telinha que vê o que postamos e minha querida se for preciso deixar outro comentario sem grande conteudo só para que te dizer que estive aqui, assim o farei.

    Querida Maria Andrade, nem todos pensamos da mesma maneira e é bom quando nos aceitamos uns aos outros como realmente somos...um beijinho grande e desejo-lhe um 2011 carregado de coisinhas boas.

    Um beijinho muito grande Isabel,

    Marília Marques

    ResponderExcluir
  10. Olá Maria Paula.Obrigada pelo seu comentário.
    Giro ter gostado da nova foto de entrada,uma das minhas cozinhas!
    Uma boa semana para si também
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  11. Querida Marília
    Obrigada pelo teu comentário.
    Confesso,desta vez errei,precipitei-me, tal o meu espírito de alma. Sei que percebeste, aos poucos vais-me conhecendo...como!
    Entenderás por certo que uma página aberta serve para além de partilhar, receber informação de quem sabe mais do que nós. Ainda bem que existem e se dispõem a fornece-la gratuitamente.
    Com isto quero dizer que alterei o post muito pela riqueza da informação dada pela Maria Andrade, uma profunda conhecedora de loiça inglesa, inegavelmente por aqui neste meio tem sido por mais evidenciada.Também a ajuda do Manel que decifrou uma das marcas postadas é sabido o seu gosto por esta loiça também. Restou-me retirar as peças de Sacavém que julgava serem inglesas e duas que já tinha anteriormente postado. Não há necessidade em duplicar a informação e com isto diminui o post para melhor ser apreciado e comentado. Os palpites da Maria Andrade e do Manel foram muito a propósito, sendo que o Luís anteriormente também já me tenha alertado para o tema.
    Nesta caminhada vai-se aprendendo e isso é o mais importante,saber lidar com personalidades diferentes, gostos e olhares sobre a mesma coisa sem hipocrisia, alvitrar.Não sinto que doa!
    Compreendo o que dizes "quero que saiba que sei o que se sente quando postamos algo que gostaríamos que chegasse até aos nossos habituais visitantes e que ao contrario disso parece não haver visitas pois não há feedback"
    Então não????
    Amiga...Estás cheia de razão.Se o meu blog fosse interessante e de valor acrescentado aos temas nele expostos, por certo teria uma avalanche de comentadores...No entanto os que tem, pela assiduidade, e companheirismo nesta caminhada de velharias tem sido enriquecedor, fazem-me falta!
    Amiga serás sempre bem vinda ao meu cantinho. Comenta do teu jeito, não te importes. Gosto e aprecio a tua juventude e irreverência. Então já não fui assim!
    Sê tu mesma sempre. Bem hajas pelo carinho. Semana de bom trbalho
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  12. Cara Maria Isabel

    já cá tinha vindo espreitar, mas à pressa e sem tempo de deixar comentários, até porque não conheço muito a louça inglesa, embora goste bastante.

    As discussões sobre atribuições de marcas são salutares e é por isso que fazemos estes blogs, para aprender uns com os outros. Fui educado numa família onde desde muito cedo fomos habituados a expôr os nossos pontos de vista. Durante as refeições eramos encorajados a discutir, debater e argumentar sobre história, política ou arte. Só existia um tema tabu, as doenças, que o meu pai achava um assunto intragável, pior ainda do que o sexo, que era considerado inconveniente naqueles longíquos primeiros anos da década 70, em que o Prof Marcelo Caetano dirigia os assuntos nacionais.

    Bem toda esta conversa é para lhe dizer que o que me chamou mais a atenção foi a sua travessa cavalinho alaranjada(julgo que é laranja). É lindíssima, adorava ter uma, mas tenho um palpite que será portuguesa, mas não consegui perceber de que fábrica, apesar de ter consultado o dicionário de marcas de faiança e porcelana. A Louça inglesa é no geral muito mais perfeita que a portuguesa, embora seja nas pequenas imperfeições que reside o encanto das nosas peças, pois os artistas, são mais criativos. Pareceu-me ler naquele monograma as siglas de Caldas da Rainha, mas é só um palpite, não é uma certeza.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá Luís. Obrigado pelo seu comentário tão a propósito.
    Também adoro a travessa que indica, o tom é entre os amarelos a tirar para o férreo da agua que vi nos Açores e pela Nexebra em minas ferrosas.
    Tem piada que já vi uma igual maior da mesma cor e poderia ter visto a marca...sou uma distraída.
    Fui indagar melhor depois do que disse.
    Sinceramente parece-me um "P" e um "C" entrelaçado. O que no imediato me fez luz e de certeza que é Corticeira Porto. Esta fábreica reproduziu a estampagem do cavalinho, tenho visto em tom verde. Que lhe parece, descobri o enigma.
    Se achar que sim, vou retira-la deste post
    Obrigado,ajudou a eu descobrir que não se trata de loiça inglesa. Só que a comprei juntamente com a azul e o vendedor induziu-nos em erro.
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  14. Sim, tem toda a razão. Fiz uma pesquisa na net e apanhei um prato cavalinho, marca Corticeira Porto, com uma marca semelhante à sua.

    http://www.custojusto.pt/Lisboa/2210204-Prato+Estatua+Cavalinho+Vermenho+Fab+Corticeira.htm


    Aliás vou actualizar o meu post louça cavalinho com esse dado novo

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Luís, acertou, quer dizer que a minha travessa é ainda mais antiga que o prato do link, o símbolo é igual, o do prato é mais completo com a palavra Porto.

    Obrigado, muito obrigado. Sempre quis ter uma peça da Corticeira, tinha e não sabis!
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  16. Cara Maria Isabel,
    Quando me dedicou este post e fez referência ao Gabriel ele ainda não tinha nascido e eu andava um pouco stressada, preocupada com uns problemas q tinham surgido. Felizmente acabou por correr tudo bem e agora temos um belo rapazinho, mais pequenino do q esperávamos, mas a recuperar bem. Vamos quase todos os dias vê-lo, só me apetece estar a admirar aquele pequenino ser...
    Obrigada pela atenção.
    Beijos
    Maria Andrade

    ResponderExcluir
  17. Parabéns para todos aí em casa Maria Andrade.
    Suspeitei que já tivesse nascido quando respondeu ao Luís que ultimamente tem ido muito a Coimbra.
    Bom saber que é da minha terra. Pois!
    Não se rale, a criança tem tempo de engordar desde que goze de boa saúde que de signo, é bem bom, vai viver muito até velhinho, segundo as crónicas.
    Vou confessar-lhe um segredo, quando fui mãe, e vi a minha filha pela 1ªvez, decorei a boquinha em triângulo, no caso de me a trocarem... mal eu sabia que nascem todos do mesmo jeito...era tão ignorante.
    Felicidades e goze este tempo que é de alegrias a cada dia.
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas