quinta-feira, 29 de julho de 2010

O meu pátio da casa rural




 

Casa rural vista pelo lado do quintal. A eira em rectângulo dá acesso a um patim que por ser acolhedor chamo carinhosamente de pátio, afinal só é aberto pela frente... ao fundo pode ver-se a minha cozinha saloia, antiga pocilga, onde ainda cozinho a lenha, feita ao tosco em cimento,para a alegrar e tornar mais higiénica decidi pintar as paredes e chaminé em branco, o armário também, apesar da tinta não ser apropriada, conferiu ao móvel um ar minimalista...risos, o mosqueteiro já tinha pintado o ano passado(armário alto com 3 prateleiras revestido em rede onde se guardavam dos gatos e das moscas, a sardinha frita, ou para assar, queijo,enchidos, enfim era o frigorífico de outros tempos, encontrei-o no lixo junto à casa da minha mãe, guardei-o na loja dela, lavei-o à mangueirada , escovado e raspado, tirei as redes velhas, todo muito bem pintado de branco, ganhou nova rede branca e até puxador novo, ficou outro...
Agora muito mais airosa, fresca com a enorme arca de pinho onde guardo a lenha e serve de banco, decorei as paredes com pratos e bacias de faiança,do mais rasca, apesar de as achar bonitas, não vá o diabo e lá voltem e roubem tudo outra vez...
Sob os balcões, que surgiram por as paredes até ao meio serem em pedra e acrescentadas por tijolo,tenho garrafões de vidro um cheio de vinagre, sabem que servia para tudo, para a culinária e para higiene intima, quer de mulheres, quer dos homens , a acidez funciona como anticéptico e na mulher regula o excesso de alcalinidade
No norte as casas ricas tinhas pias em barro medianas chamadas de vinagreiras, lindíssimas com um pote na tampa para se encher cada vez que era necessário
Vi-as em Azeitão, num vendedor cigano que trás muita mercadoria do norte...pias de capelas, talhas de todos os feitios, algumas datadas, tudo é demasiado belo....
A fachada é normal, foi feita à poucos anos,na altura enquanto pocilga tinha apenas um pequeno rebordo e valia-se da inclinação do terreno para o fazer parecer mais alto e os porcos não fugirem...a porta de ferro e a janela em alumínio que foi adaptada, foi pertença de uma torre ali em Miraflores que foi casa de uma familiar, pintei-as em azul anilado, o meu preferido a fazer lembrar as cores de antigamente
Falta ainda acrescentar o telheiro, sem telhas apenas com troncos de eucalipto para dar um ar mais leve e típico, retirando o sol em demasia
Já comprei floreiras para colocar nas paredes, também lanternas para as noites de verão iluminar o jantar no pátio
Ainda se pode ver de lado as escadas que dão acesso à casa e á garagem, que funciona como arrecadação
Todas as paredes irão ser pintadas de branco e o lavatório de Sacavém também oriundo de Miraflores irá ser substituído por uma pia em pedra...bem cimentada para não a roubarem...
Ainda há muito por fazer, o giro é ir fazendo devagarinho, e então com o calor ponho a dorna de plástico na eira, encho de água que começa a aquecer com o sol, pela tardinha visto o biquíni antigo, é o que tenho nesta casa e salto lá para dentro...no mínimo sinto-me como se estivesse numas dessas praias estrangeiras paradisíacas ...
 Tudo ali é deslumbrante, apetecível, único e muito simples!

Souvenir da Fábrica Cesol de Coimbra

Caneca da Fábrica CESOL de Coimbra anos 50. Pintura monocromática em castanho . Imagem de Nossa Senhora da Rocha dentro de um coração en...