quinta-feira, 8 de abril de 2010

Cristo na Cruz enfeitado ao gosto de Braga



















O Cristo foi encontrado numa gaveta na casa da avó Rosa na Moita Redonda, dentro de um envelope, negro...possivelmente a madeira já se tinha corroído...
Limpei-o e logo o latão  veio ao de cima , fomos para a rua à procura de madeira para fazer a cruz que encontramos num vazadiuro de obras-, resto de um estendal à antiga.
O meu marido fez a cruz e pregou-o, depois eu enfeitei-o, porque na verdade nunca apreciei estas imagens, e assim decorada gosto.

Por baixo quadro com azulejo pintado à mão com versos de boas vindas, comprado na feira de Oeiras. Restaurei os dourados.
  • Por cima dele dois pequenos ícones.
Um de Fátima, o outro da Virgem Negra de que a minha irmã me trouxe de um desses países da antiga Rússia.

Sacavém motivo vindimas















Comprei-o na feira de Setúbal por 5 €.
Gostei do tamanho, e do motivo das vindimas ao centro, a aba pintada a cheia  em verde.

O homem disse-nos que era onde a avó servia o cozido.
Conversas de vendedor.
Mas que é grande, lá isso é.
  • Este tamanho também era usado para servir o arroz doce ao pessoal que na eira limpava o trigo,milho ou centeio.Todos comiam do prato cada um com a sua colher,

Sacavém motivo rosas















Comprei-o na feira de Setúbal por 5 €.
Este motivo faz parte da minha imaginação, sempre os vi  nas casas.

Grande prato com rosas ao centro e ramagens verdes. Aba cheia a vermelho-
  • Este motivo julgo é original da fábrica Aleluia de Aveiro  e foi copiado por Sacavém.

Terrina redonda Cavalinho de Sacavém






Tinta três com o mesmo motivo "Cavalinho".
Esta é em azul forte - vendi-a em Miranda do Corvo. Tenho outra em verde, uma maior em rosa foi-me roubada da casa rural.
Nenhuma tem tampa.

Sacavém terrina e molheira















A terrina comprei-a a um já conhecido vendedor .
  • Acho-a encantadora. Branca  abaixo da pega folhas de acanto em relevo com filetes azuis, Rebordo da tampa e do pé recortado
Nunca cheguei a encontrar a travessa.
  • A molheira encontrei-na na feira de Oeiras, acho que custou 4 €.Também debruada a azul

Miscelânea de Bules e Açucareiros


Bules:Coimbra, Sacavém, Vista Alegre, Caldas e um inglês que me foi oferecido pela minha prima Elsa que o trouxe da Venezuela quando lá esteve.
Açucareiros: Sacavém, Vista alegre e Caldas.
Na prateleira de baixo uma taça e terrina hexagonal da SP de Coimbra foram pertença da minha mãe quando casou.Duas molheiras de Sacavém.

Estatueta africana martelada no cobre


Comprei-a muito barata na feira de Algés.
Só eu sei o trabalho que tive para a limpar.
Valeu a pena.
Gosto muito dela.

Colecção de garrafas para a ginja da Marinha Grande

  • Adoro estas garrafas em formato hexagonal com florões e nervuras nos lombos que se apresentam em três tamanhos e fechavam com rolhas de cortiça. Por terem gargalo largo as maiores eram usadas para fabrico de ginja caseira.Fabrico da Marinha Grande em paralelo com garrafões ao alto com tampa de vidro e o mesmo a torneira para uso nas tabernas e nele a ginja, tenho um exemplar que ainda não fotografei. Fabrico início século XX(?).




2,5 L  estas algumas marcadas.
1 l
0,5 l
A tonalidade do vidro é em todas diferente.
Umas vezes translúcido, outras esverdeado, outras rosado.

Bacias em faiança da fábrica Outeiro de Agueda













  •  Esta é pequenina
  • A avó do meu marido, Rosa da quelha tinha uma igual mas maior


  •  A primeira bacia deu-ma o avó do meu marido António Veríssimo, a outra é Sacavém

 



Talha em barro


Esta talha foi usada para guardar os chouriços em azeite.
Era da avó Rosa do meu marido.
Foi-me oferecida pelos meus sogros.
Estava preta pelos anos e o fumo da lareira.
A cozinha não tinha chaminé.
Lavei-a com uma escova em aço.
Está assente em cima de um tampo de madeira de um pipo.
O barril alto também era dela.

Penico de Coimbra em miniatura






Comprado numa dessas muitas feiras por 1 €.
Impecável.
Adorei a miniatura e a decoração.
Há tempos vi um um nadita maior na feira da ladra e pediram-me 100€ este é mais decorativo e elegante.

Prato Viúva Alfredo de Oliveira de Coimbra


Comprado na feira da Ladra por 2 €.
Leve esbeiçadela num rebordo.
Magnífica pela textura e brilho.
Pesado
Prato marcado.

Souvenir da Fábrica Cesol de Coimbra

Caneca da Fábrica CESOL de Coimbra anos 50. Pintura monocromática em castanho . Imagem de Nossa Senhora da Rocha dentro de um coração en...