Cortiço com tampa com estevas



Em cortiça claro!
Peça que me lembro desde sempre conhecer, a minha mãe quando casou trouxe um de casa dos meus avós para pôr atrás da porta da casa de banho,serviu como cesto da roupa suja durante anos.
Depois foi arrumado no sótão até ser redescoberto por mim, numa das últimas limpezas que lhe fiz, trouxe-o comigo, não sabia bem o que fazer dele.Por dentro ainda tem os paus cruzdos para as abelhas fazerem os favos de mel.
Aí surgiu-me a ideia de o pôr no hall da casa rural, mas não tinha tampa, essa tinha-se com o tempo perdido.
Nessa altura a minha filha trabalhava em Odemira, onde eu ia várias vezes, confesso que já conhecia, mas fiquei mais apaixonada, além da beleza da costa alentejana, as pessoas por certo são adoráveis, perdi horas a conversar...adoravam ouvir-me, senti, sempre tive jeito para as pessoas, de ensinar, coisas básicas, sorrir e fazê-las sorrir também...não é falta de modéstia....está-me nos genes!
Bem, aí soube de um senhor numa aldeola que era cesteiro e lá fui, o Sr Pombareiro, homem de mais de 80 anos, um sedutor!

Comentários

  1. Olá Marília, muito obrigada
    Isto dos comentários está sempre a acontecer, evaporam-se.
    Obrigada pelo envio dos contactos, ficou exposta...Ainda aparece alguém atrevido e num relance pelos seus lindos cabelos lhe telefona...mia culpa!
    Eu vou responder-lhe por e-mail e lá indico o meu telemóvel. Ainda não sei se vou neste sábado ou no outro dia 3o, porque o aniversário é diaA 28,o fim de semana com ponte e se o tempo estiver bom vou de seguida até Ansião.
    Falamos até lá, obrigada mais uma vez
    Beijinhos
    Isabel

    ResponderExcluir
  2. Olá Maria Isabel,
    Acho que objectos como este cortiço, as medidas de madeira, arcas e outros objectos q aqui tem mostrado são muito adequados à decoração de uma casa rural. A Maria Isabel sabe muito bem tirar partido destas coisas todas e fazer uma verdadeira reciclagem, q é um conceito q me agrada muito.
    Continue assim, criativa e anti-desperdício.
    Beijos
    Maria A.

    ResponderExcluir
  3. Bonito o seu cortiço, conheço mal este tipo de tarefa agrícola e nunca lidei com a apicultura, mas esta peça é bonita no seu charme quase ancestral.
    Fiquei também algo preocupado com o telefone e contacto aqui expostos da Marília.
    Peço desculpa à Maria Isabel para sugerir que ou a Marília ou a Maria Isabel apaguem o contacto ... fico sempre preocupado com a existência de pessoas pouco fiáveis que se aproveitam da informção para a utilizar de forma menos correcta.
    Boa semana
    Manel

    ResponderExcluir
  4. Obrigada a todos pelos vossos comentários
    Optei pela sugestão do Manel, tive de excluir o comentário da Marília, tinha lá os contactos, é melhor prevenir.
    Mas ficou o registo no meu coração.
    Maria A., tem razão gosto que a casa rural tenha apenas o que era uso no seu tempo, por exemplo não tenho lá televisão nem micro ondas.
    Preservo a casa na essência antiga, ainda cozinhar ao lume, os alguidares, as panelas de ferro, as trempes
    Quartos com camas de ferro, mesas e cadeiras, caixote comprido que serve de banco e onde se guardavam as leguminosas em compartimentos, as prateleiras, arcas, cortiço, lavatório em ferro, relógio, misulas com os Santos e o terço na sala quadros de Santos, fotografias, e a máquina de costura.
    Este o simbolismo daquela casa

    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  5. Confesso que tenho um medo que me pelo de abelhas. Esses bichos e os seus parentes próximos, como as vespas e mosquitos parecem suspeitar imediamente da minha aproximação e lançam ataques furiosos contra a minha pele. Portanto guardo uma distância muitíssimo respeitadora de cortiços. Em todo o caso, a sua peça é bonita e faz muito bem em guarda-la e estima-la

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas