Bela faiança variada de Coimbra (?)

Faianças de Coimbra, as minhas preferidas, que me desculpem as outros ...mas são da minha terra...

Prato comprado em Setúbal .
O chamado prato de oferendas, ou de casamento.
Bordadura em estampa a dourado, motivo central floral  em policromia limitado no covo por triplo filete em azul claro.
Lindo.

Grande  prato comprei-o a bom preço na feira de Setúbal, não me lembro quanto, de oferendas ou casamento.Aba do prato em estampa dourada ornada no rebordo por filete fino azul claro, e duplo filete da mesma cor a limitar o centro em amarelo canário e motivo floral em estampa  em aguada a preto.

















Prato esponjado em tons de manganês ornado a filete da mesma cor mais forte na aba do rebordo e do circulo ao centro.Século XIX, massa malegueira com buraquinhos e arrepiados no esmalte.
Loiça "ratinho".



Prato decorado a corações com grinaldas na aba e um coração isolado ao centro. Filete azul no limite do bojo e no rebordo em azul.
Assinado da fábrica Viúva A. Oliveira de Coimbra


Comentários

  1. Olá, Maria Isabel, belo conjunto de pratos!
    Já conhecia uma grande parte, de posts anteriores, mas assim todos juntos fazem outro efeito. São uma boa mostra das diferentes cercaduras e cores usadas neste tipo de pratos de flores atribuídos a Coimbra.
    Ando há tempos para mostrar os meus, para se ir fazendo o levantamento, sobretudo das diferentes cercaduras, mas vão-se metendo outras coisas, ou porq estão mais acessíveis para fotografar, ou porq têm histórias para contar, e os pratos vão ficando pra tás...
    Prometo pensar nisso para breve.
    Beijos
    Maria A.

    ResponderExcluir
  2. Isa
    Tem uma colecção de meter inveja a qualquer um!
    São todos lindos. Apesar de gostar destes pratos como um todo, encantam-me especialmente as suas bordaduras.
    Sabe que já me contagiou com o seu gosto por este tipo de pratos :).
    Nunca cheguei a mostrar os dois pratinhos que comprei porque vi no seu blog, uns muito parecidos, que aliás são da mesma fábrica. Brevemente, vou mostrá-los.
    Um abraço
    Maria Paula

    ResponderExcluir
  3. Como está Maria Isabel.
    Como vai sendo habitual gosto imenso destes seus pratos, tanto mais que são provenientes de sítios que partilhamos.
    Como Coimbra produziu beleza sem par, bem espelhados nestes seus exemplares.
    Desejo-lhe tudo de bom para os poder gozar por muitos e bons anos, pois, tal como a Maria Isabel, perco-me durante tempo sem conta a observá-los, e, de cada vez que o faço, dou-me sempre conta de coisas que não tinha visto antes, é um pormenor ali, uma florinha que me tinha escapado acolá, um rebordo mais trabalhado, um relevado da tinta, uma malformação que até deu mais interesse à peça, enfim, perco-me na sua contemplação.
    Esqueci-me de lhe dizer que gostei imenso do relógio "de capela" que aparece no seu post anterior, muito bonito!
    Eu que sou meio tonto por relógios, e que os adquiro de uma forma sem sentido (realmente não preciso de relógios e repito-me isto vezes sem conta!), acabo por fazer a cabeça doida aos que me visitam quando, muitas vezes, têm de se calar para dar lugar às badaladas; fico sempre estranhamente feliz e tranquilo (vá-se lá saber porquê) quando vejo um bonito espécime, desde que a trabalhar (poucas coisas me colocam mais desasado que observar um relógio de pêndulo mudo e quedo!).
    Um bom final de semana e parabéns pelas suas bonitas peças
    Manel

    ResponderExcluir
  4. Cara Maria Isabel

    Eu gosto muito dos seus pratos e como sabe partilho o seu gosto pela faiança popular ingénua, que nosso País produziu sempre com tanta criatividade.

    Mas a Isabel não me leva a mal se eu lhe disser que os preferia ver um a um, em vez de todos juntos num único post?

    Cada um deles é uma história. Um é uma rapariga feliz acabada de casar, o outro é um oleiro cheio de imaginação que pinta azuis maravilhosos e outro ainda é a história de uma mãe que tem que alimentar sozinha uma ninhada cheia de crianças e enche um daqueles grandes pratos cheio de couves, porque naquela casa não há dinheiro para carne.

    Enfim, quando não há história inventa-se e a Isabel sabe da vida o suficiente para compôr quase um conto para cada prato.

    Desculpe-me a franqueza e eu fugir um pouco ao tema da cerâmica, mas sei que consigo posso faze-lo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá Luís, obrigado pelo seu comentário.
    Sabe que adoro a sua franqueza como a de todos os habituais comentadores, que a todos considero amigos de coração. Só assim cresço mais, aprendo, e me mantenho na onda.
    De facto inicialmente comecei por postar uma peça de cada vez com a sua estória...debalde ninguém comentava...e aí ficava triste...sei que foi no início...sei!
    Então como os adoro tanto, achei por bem junta-los, tem a mais valia de se poderem comparar e tirar dúvidas, também.
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  6. Olá Manel, então que me desculpe...esqueci-me de lhe responder!
    Estou triste, adorei o seu comentário tão franco e sincero, quase o senti ver, e não o conheço...tal a minha imaginação.
    Assim é como diz, a faiança de Coimbra está muito interligada a nós, pelas raízes que comungamos da região centro e sobretudo das faldas de Sicó.
    Sabe, fartei-me de rir com o que escreveu sobre os relógios...somos igualzinhos, não uso relógio desde os meus 23 anos, no entanto nunca me atraso, sou até muito pontual. Adoro relógios antigos, também do som que emanam nas badaladas, coisa que me ficou no tempo que acompanhava a minha no turno da meia noite nos correios, o PBX só funcionava até essa hora, acordava ao som das 12 badaladas do relógio da Reguladora, lindo, tenho um que a minha irmã me ofereceu, tem mais de cem anos foi da estação de Évora.
    Adoro recordar...
    Os seus comentários sempre tão enternecedores fazem-me soltar, sentir bem, obrigada mais uma vez pelas lindas palavras
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir
  7. sabe dizer-me se há por ai aqueles pratos de criança com os bonecos dos contos tradicionais...é que o meu irmaotinha e eu sempre os adorei e nao tenho...

    ResponderExcluir
  8. Respondendo à sua questão
    Em faiança dita de Coimbra nunca vi pratos com bonecos dos contos tradicionais para crianças.
    Esses conheço da vista alegre e Sacavém.Muito raros, mas já os tenho visto nas feiras, um até com o abecedário à volta às cores.
    Há pratos grandes de faiança com bonecos, numa alegoria ao campo, esses são os ditos ratinhos, os mais antigos,caros e mui raros. Neste caso o que vou vendo são motivos florais e casario.
    Não sei se consegui responder à sua questão
    Cumpts
    Isabel

    ResponderExcluir
  9. Belíssimas peças! Gostei em particular o em azul e o motivo central com os corações, e também o outro todo em azul, abaixo dele. Os dois últimos também gosto muito!
    Qualquer dia, com mais tempo, vou "emprestar" umas fotos suas, para comparar com peças brasileiras.
    abraços!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas