Travessa em faiança Coimbra (?)




Comprei-a na feira de Algés. Diferente de tudo o que sempre vimos. Numa tonalidade fora do comum em rosa  motivada pela alta temperatura do forno onde cozeu, pintada com o motivo floral ao alto.

Em 1888 na exposição de Lisboa  segundo o Livro de Cerâmica de Coimbra - "estiveram presentes com loiça fina , apenas estampada e riscada como é costume,  possuem como denominador comum - a cor vermelha - rara na produção cerâmica nacional."
  • O rebordo todo picotado na massa, para mim inédito julgo no norte também foi prática, em Darque(?).
Elaborado floral em folhas pontiagudas em azul claro, botões das flores e sobretudo pelos pontinhos a preto que saem de uma delas.
Atribuição a Coimbra(?) 1º quartel século XX assim se fizeram  de rebordo picotado por altura da instauração da República com motivos alusivos.


Comentários

  1. Ai Isabel, quem dera poder dizer-lho, mas as minhas dúvidas afligem-me e sou ignorante no que toca à identificação da nossa faiança, quando digo uma coisa, será com certeza outra, por isso prefiro nem sequer alvitrar.
    Mas é uma peça interessante sobretudo no relevado da aba
    Manel

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Manel pelo seu comentário.
    Atribuo o fabrico da travessa a Darque.
    Pela tonalidade escura da massa,uma das caraterísticas, geralmente em tom grão, esta um rosa velho
    Flores em forma oval
    Folhagem pontiaguda e fina
    Pontinhos pretos a sair de uma das flores
    Picotado impresso na massa da aba
    Cores.
    Características que encontro em outras peças. Sobretudo o azul a que chamam flor de alecrim
    Beijos
    Isabel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas